Atividade física na vida moderna

Atividade física na vida moderna

Estudiar e trabalhar é imprescindível e importante, praticar uma atividade física também!

A vida moderna atual é agitada! Desde cedo, as crianças estão cheias de atividades e isso continua na adolescencia e depois… Natação, inglês, clube, academia são atividades extras que completam todos os quadrinhos na agenda semanal. Poderia se dizer que não é mais uma tendência: ela já está instalada e vai ficar!

Também é fato que a rotina (ou não rotina) de homens e mulheres, jovens e adultos –todos sem exceção – precisam da atividade física para que o indivíduo possa ter uma vida saudável e plena, no nível físico, mental e emocional.

Conforme o IBGE, a falta de prática esportiva ou atividade física é mais frequente entre as mulheres: duas em cada três não se exercitam. Mas, quais são as necessidades conforme a idade e como ter sucesso, ou seja, não começar para logo desistir?

  • Evitar o excesso de peso e a obesidade
  • Diminuir a probabilidade de desenvolver doenças (ex: cardiovasculares, câncer, diabetes, manter a pressão arterial)
  • “Domesticar” o estresse
  • Aumentar a autoestima
  • Aumentar a concentração
  • Sociabilização
  • Sensação generalizada de bem-estar físico e psicológico

Quais são as necessidades
Segundo a OMS, adultos entre 18 e 64 anos de idade requerem a prática de exercícios aeróbicos durante 150 minutos por semana, em nível de atividade moderada ou 75 minutos de exercícios aeróbicos em atividade vigorosa.

Para pessoas acima dos 65 anos, a recomendação é 150 minutos de exercícios aeróbicos por semana em nível de atividade moderada ou 75 minutos de exercícios aeróbicos em atividade vigorosa.

Os adultos mais velhos, com mobilidade comprometida, devem realizar atividade física para melhorar o equilíbrio e evitar quedas em 3 ou mais dias por semana.

Atividades de fortalecimento muscular, envolvendo grandes grupos musculares, deve ser feito em 2 ou mais dias por semana.

Como podemos ajudar
As atividades numa escola de dança muitas vezes seguem um currículo de aprendizado, mas em alguns casos é imprescindível evoluir e oferecer ao aluno uma proposta eficaz para que não desista na empreitada por manter a atividade física entre as suas prioridades.

É por isso que nós também nos adaptamos à vida moderna atual agitada e agora oferecemos aulas avulsas que se encaixam no seu dia a dia!

Ligue para o 3773-6660 ou melhor, venha nos visitar, conheça nossa escola e poderemos conversar para formatar o melhor plano de atividade física especialmente adaptado às suas necessidades.

Além disso, a dança pode melhorar a memória, o aprendizado e o equilíbrio.

A dança pode reverter os sinais de envelhecimento

As pessoas de idade que participam de uma atividade física de forma frequente, podem reverter os sinais de envelhecimento em seus cérebros.

É um fato científico: vários estudos já revelaram que a dança pode ser mais benéfica para o corpo e para a alma do que certos exercícios. E não precisa ter um par! Além disso, a dança pode melhorar a memória, o aprendizado e o equilíbrio. 

A diferença dos programas de treinamento tradicionais (dentre outros tipos de exercícios estudados num estudio, link abaixo), a dança foi o que teve o efeito mais profundo de reversão dos sinais de envelhecimento.

Os estudos mostram que a dança ajuda a combater o estresse, a ansiedade e a depressão. A prática de diferentes tipos de dança mantém o indivíduo num processo de aprendizado constante que aumenta o tamanho da região do cérebro chamada hipocampo. Essa região normalmente declina com a idade e é severamente afetada por doenças como Alzheimer. O resultado é uma melhora na memória e no aprendizado, além da manutenção do equilíbrio.

Os cientistas acompanharam um grupo de 62 homens e mulheres, com média de idade na casa dos 68 anos. Para parte deles, a atividade proposta era um curso semanal com duração de 18 meses, criado para ensinar diferentes estilos de dança. O restante dos voluntários participou de um treinamento focado em ampliar a resistência física e flexibilidade. Dentre as atividades, estavam a caminhada ou treinos de bicicleta – que sempre exigiam a repetição dos mesmos movimentos, em sessões de 90 minutos.

Os participantes do estudo foram apresentados com novas rotinas de dança a cada semana. Passos, movimentos com os braços, formações, velocidade e ritmos eram mudados a cada segunda semana para manter os indivíduos num aprendizado constante.

mayores de 60 que dançam tem melhor qualidade de vida

O maior desafio para eles era lembrar as rotinas, somado à pressão do tempo e sem a ajuda do instrutor. Esses desafios adicionais explicam a notável diferença no equilíbrio, muito importante nas pessoas de idade. Danças de diferentes géneros tem o mesmo efeito, seja jazz, música latina ou dança em grupos.

Num estudo anterior, a dança também foi muito efetiva em pessoas que sofrem de demência.

Ou seja, o exercício físico e mental contribuem para uma vida saudável e aprender diferentes tipos e coreografias de dança, podem rejuvenecer o corpo e a mente, minimizando os diversos fatores de risco e desacelerando os declínios cognitivos, mentais e físicos associados à idade.

Fonte: https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fnhum.2017.00305/full

Quer conhecer nosso projeto Alpha? Entre em contato com a Cia pelo tel.: (11) 3773-6660, Whatsapp (11)98782-8778 ou por E-mail: contato@escolaciadasartes.com

Search

+